Para outras meninas tentando se encontrar na tecnologia

Ola! Esse post é como uma carta para minha eu do passado. Talvez as coisas fiquem meio pessoais demais, mas eu espero que sendo vulnerável aqui, outras meninas vejam que não estão sozinhas e que as coisas vão melhorar.

Por que eu escolhi a carreira de tecnologia?

Quando eu estava terminando o ensino médio, minha cidade tinha um projeto de incluir ensino técnico no nosso último ano e meio da escola, para que quando acabasse teríamos mais chances de conseguir emprego logo e começar uma carreira como estagiários. Eu gostei da ideia e fui estudar Ciência da Computação. No final do curso, podíamos escolher entre programação ou banco de dados. Naquele tempo eu não podia nem ter percebido, mas minha professora principal do tema de banco de dados era uma mulher. Ela era jovem e inteligente. Eu acredito que ela me inspirou a aprender mais, então eu me inscrevi na turma de banco.

Eu gostei das aulas e me sentia boa naquilo. Então, quando foi o momento de entrar pra faculdade, minha escolha foi Banco de Dados novamente. Naquela época existia um curso voltado apenas para isso. A diretora do nosso grupo de banco era a mesma professora que ministrava nossas aulas principais de tecnologia de banco de dados. Ela era incrível. Era elegante. Entrava na sala de aula, geralmente de salto e saias ou vestidos (o que eu não via nunca nos outros professores – homens). E ela dava um baile em todos. Eu imediatamente gravitei na sua direção, e ficou claro pra mim que ela era alguém que eu me inspirava, e mais interessante ainda: outros também se inspiraram nela, porque ela era super inteligente e claramente sabia o que estava fazendo. Eventualmente, ela foi minha mentora no TCC, algo que eu sou eternamente grata por ter feito, eu adorava nossas reuniões e as suas ideias.

O trabalho não é o que eles ensinam nas escolas

Na faculdade eu tive pouquíssimas colegas mulheres, o que me levou a pensar que no trabalho seria o mesmo… e foi. Era muito difícil encontrar outras mulheres (ainda é, apenas um pouquinho melhor), especialmente em cargos de liderança. Na minha experiência, a maior parte do tempo eu era parte de um grupo pequeno de mulheres do time, que também faziam mais parte de gerenciamento e planejamento de projetos do que desenvolvimento ou banco de dados. Um fato curioso: a primeira vez que fui trabalhar para uma empresa grande, o meu futuro time tinha apenas uma outra mulher, e foi ela quem falou para os homens que me entrevistaram que eu deveria entrar no time de TI e não em um outro time que lidava com os negócios. Eu não fazia ideia de quão importante a ajuda dela seria pra mim, eu sou grata por suas ações, e aprendi muito com ela depois. Porém, uma coisa que eu nunca perguntei nem pensei muito foi: por que um grupo de homens viu meu currículo e assumiu que meu perfil era mais de uma vaga não técnica e foi preciso outra mulher lê-lo para entender que não era?

Eu acho que apenas tive uma gerente mulher quando comecei a trabalhar no Canadá. Foi uma experiência boa ter alguém com quem você pode ser completamente aberto sobre tópicos pesados como misoginia no trabalho, e não ter tanto medo do que suas falas podem te causar.

Eu queria contar essa parte da minha história para dar um exemplo de quanto significou pra mim, ter mulheres com quem eu pudesse contar. Claro que eu também trabalhei com homens incríveis e aprendi muito com eles, mas os momentos em que eu mais acreditava em mim era quando eu tinha outra ela para me apoiar.

Ter uma mulher em uma sala cheia de homens não faz com que ela seja excepcional, isso significa na verdade que erramos em alguma coisa durante o caminho e deixamos muitas outras de fora.

Como ajudar?

  • Se você puder e se o assunto te interessa, eu sugiro ser mentor(a) de alguém. Você não faz ideia de quanto um pouco de conselho pode chegar longe. Esteja aberto para ouvir, ver e tomar ação.
  • Quando você ver mulheres passando por situações difíceis no trabalho, fale sobre elas e deixe claro que em você elas tem uma parceria. Se você tem medo de consequências (o que por sinal sinto muito pela situação!), procure alguém que possa te ajudar, alguém que você sabe que não vai te deixar em um momento difícil. Seja vulnerável e você entenderá quem está com você.
  • Por último, consuma referencias femininas. Esteja consciente e faça escolhas de ver e dar o devido valor ao trabalho de mulheres, apenas pelo fato delas serem brilhantes no que fazem e na capacidade de te contar histórias das quais você não tem contato.

Para aquelas passando por dificuldades

  • Você não está sozinha. Busque por outras na mesma posição que você. Não subestime o poder de estar em um grupo que te entenda.
  • Encontre a sua âncora. Eu sempre procurava alguém que eu sabia que me ajudaria em momentos complicados. Siga-os, faça com que te vejam e vão te ouvir.
  • Não deixe os medos te paralisarem. Faça com que te escutem. E caso você não encontre forças pra falar quando for preciso: está tudo bem, você não precisa resolver os problemas do mundo sozinha.
  • Para aquelas passando por momentos difíceis: eu entendo, eu te escuto, eu te vejo. Fale comigo se você precisar de alguém pra desabafar.

Espero que nos tornemos melhores para nossas futuras gerações.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: